Setor de defensivos agrícolas sofre queda de vendas no primeiro semestre de 2015

Menor infestação de pragas, preço do dólar e estoque alto são os principais motivos apontados pelo SINDIVEG

O primeiro semestre do ano confirmou as expectativas do setor de agroquímicos quanto à diminuição da comercialização dos produtos. Comparado ao mesmo período de 2014, segundo dados do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal – SINDIVEG, as vendas caíram 25% entre janeiro e junho.

Os principais motivos apontados foram as altas temperaturas e seca prolongada, que reduziram significativamente a infestação de pragas, a alta do dólar e o número elevado de produtos em estoque nos canais de distribuição.

 

IMG01

“Sem necessidade de aplicação no campo, o agricultor não investe em tecnologia, e os canais não precisam reabastecer seus estabelecimentos”, comenta Silvia Fagnani, vice-presidente executiva do SINDIVEG. “A dificuldade de acesso ao crédito persiste e motiva o agricultor a esperar o momento certo para comprar”, completa a executiva.

 

IMG02

 

Mediante esse cenário, a expectativa já divulgada pelo SINDIVEG de um ano flat, ou seja, com crescimento modesto, passa a ser de um ano de ajuste na indústria e com queda de vendas, basicamente devido a câmbio, estoques, menor nível de infestação, crédito que chega ainda de forma lenta no mercado e também ao produtor, que precisa se adequar a preços de soja bem menores se comparados a 2014. “Consideramos que 2015 será um ano de ajuste”, finaliza Fagnani.

 

Na Imprensa:

Valor Econômico – 25/08/15
http://www.valor.com.br/agro/4193954/venda-de-defensivos-caiu-25-no-1-semestre

Canal Rural – 01/09/15
http://www.canalrural.com.br/noticias/rural-noticias/setor-defensivos-preve-melhora-faturamento-58602

Compartilhe agora:
Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *