Defensivos Agrícolas – Importação de produtos técnicos e formulados cai em 2015

Em 2015, segundo apuração de dados do SINDIVEG – Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal – o volume total das importações de defensivos agrícolas* apresentou queda de 6,10% no ano de 2015 em relação ao anterior, atingindo 392.526 toneladas.

A classe mais importada no país continua sendo a dos herbicidas, que representam 60%, seguida dos inseticidas com 23%. Dentre os herbicidas mais demandados, o glifosato representa 45% das importações da classe, devido ao uso nas culturas de soja, milho, algodão, entre outras.

Diferentemente de 2014, quando apresentou o crescimento mais expressivo dentre as classes, os inseticidas apresentaram maior queda de crescimento percentual no volume importado em 2015, 28,53%. Com isso, o volume importado em 2015 caiu de 127.512 toneladas em 2014 para 91.157. Apesar da demanda crescente do uso de inseticidas em tratamento de sementes e no campo – devido ao número crescente de pragas, o mercado de agroquímicos como um todo está perdendo para a comercialização ilegal de produtos. Estudos atuais demonstram que o contrabando pode atingir até 20% das vendas de defensivos agrícolas no Brasil.

Como exemplo desse grande descontrole do comércio ilegal na região, em 2014, o Paraguai importou US$ 110 milhões excedentes à necessidade interna de Benzoato de Emamectina, inseticida registrado em caráter emergencial para combate à praga Helicoverpa armigera. Esse excedente foi provavelmente todo destinado ao mercado brasileiro informalmente, sem registros de agrotóxico nem regularização das importações.

A importação de fungicidas manteve a tendência e cresceu 2,36% em 2015. Já a de acaricidas – apesar de ser a menor classe em volume importada – apresentou maior percentual de crescimento, 13,28%; fator resultante do aumento da doença “leprose dos citrus”, provocada por um ácaro nas lavouras, e também da recuperação do setor de citricultura, devido à mudança de câmbio, que valorizou contratos**.

Técnico & Formulado
Em termos de volume de importação de produtos técnicos e produtos formulados, o percentual foi praticamente igual a 2014. Os produtos técnicos corresponderam a 56,65% e os formulados a 43,35%.

Países
Em 2015, a China permaneceu na liderança com 24,50% do total importado, seguida pelos Estados Unidos com 23,08%. A Argentina foi a responsável por 7,90%, seguida da Índia (4,28%), Inglaterra (5,77%), Suíça (2,75%) e Israel (4,36%).

Maiores-paises-importadores3

* Produtos técnicos e formulados
** Fonte: CitrusBR

Compartilhe agora:
Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *